sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

antes da partida...


Sabes o quanto te amei…não foram precisas palavras, chegaram pequenos gestos e as nossas pequenas trocas. Estes meses passaram e tanta coisa aconteceu.
Hoje aqui estou eu; sentada num banco do nosso jardim, contemplando a lua que brilha sobre mim e a recordar os nosso momentos! Pequenos grandes momentos, onde as palavras quase não se ouviam, onde os cheiros se confundiam, onde dois corpos se uniam, onde sentia a tua respiração. Era aquele nosso momento, onde o mundo parecia parar para nós, onde parecia haver apenas o “nosso canto”; aquele canto mágico onde tudo podia acontecer… a lua brilhava só para nós; as flores pareciam não querer fechar e a magia pairava no ar… o primeiro toque, os nossos corações pareciam ter o mesmo batimento. O teu beijo, aquele beijo que guardarei toda a minha vida, esse fazia-me sentir a mulher mais feliz deste mundo; os toques cresciam os corpos se uniam…e tudo acontecia…
Ao amanhecer acordava e via os teus olhos que me olhavam e tu, com aquele sorriso lindo e os olhos a brilhar… e ficávamos assim, apenas contemplando um ao outro…e por mim ficávamos assim para sempre
Mas tenho de partir…o meu coração não quer mas a minha cabeça diz que é o melhor… porque há paixões que nasceram para serem separados… o meu amor continua …não te vejo, não te toco, mas ainda te sinto…
Espero que nunca te esqueças de mim, nem dos nossos momentos. E não penses que te deixei de amar, mas tenho de partir…por cobardia talvez…e também com medo de falhar…
Amo-te,
Sofia

2 comentários:

vania oliveira disse...

que mais dizer ou comentar a um texto a já diz tudo?
está simplesmente lindo...ninguém é obrigado a partir kd ama, ninguem é obrigado a esquecer kd venera, ninguem é obrigado a afastar-se kd é cumplice...!!!
porque um dia alguem te olhou, te sorriu e ficou... e esse alguem nao tem de ser proibido... pode ser dificil mas quem disse k o amor é facil?
se fosse facil nao tinha piada nenhuma! amar é sofrer... sem sofrer não há querer...
o amor é uma ferida que nunca feicha, nunca tem cura... o sofrimento é constante no entanto muitas vezes quase que a ferida está para fechar mas existe sem algo ateia o fogo nela... e a ferida encendeia novamente!
Pensa nisso e nunca digas adeus a nada nem ninguem...


te amu amiga doidona
nao desistas nunca de nada
vais ver k talvez valha a pena nao desistir

beijinho

fabio lucci disse...

Não basta falar e escrever ;) Mudanças serão eventualmente necessárias, mas tens de pensar quais serão.. As mais dificeis, ou as mas praticas ;)

Beijo do afilhado